Convivendo com o Semiárido em verso e prosa

Conviver com o Semiárido
Esta é a maior preocupação
Que a ASA encontrou
Para fazer Articulação
Visando melhorar a vida
Que é bastante sofrida
Dos moradores do Sertão

Fazendo Articulação
Descobriu-se uma maneira
De fazer um reservatório
Na casa dessa gente sertaneira
E deram o nome de cisterna
A esta construção moderna
Que guarda a água da biqueira

E bem no fundo da casa
Esta beleza de construção
A água que cai na biqueira
Você muda a direção pra este reservatório
De um modo bem notório
Guarda pra sua precisão 

A água da cisterna
Você tem que preservar
O uso dela é somente
Pra beber e cozinhar
Assim ela dura o ano inteiro
E a água do barreiro
É usada pra gastar

Para fortalecer ainda mais
A agricultura da região
Tem varias experiências
Com a cisterna-calçadão
Que são uma belezura
Você planta legumes e verdura
Melhorando a sua alimentação

No curso pros agricultores
E professor bem especializado
A família beneficiada
Sai do curso bem capacitada
Quem planta hortaliças no quintal
Com adubos e defensivo natural
Só colhe bom resultado

Com água limpa e boa alimentação
A criança cresce forte e sadia
Vão contentes pra escola
Sorrindo radiante de alegria
O pai com alimentação reforçada
E a esperança da alma renovada
Trabalha com mais disposição e energia

No curso se aprender a cuidar
Do gado, cabra, galinha
A cuidar de abelhas e peixes
Mandioca pra fazer farinha
Tudo de um modo recente
E proteger o meio ambiente
Está em primeira linha

Aprende todas as técnicas
De combate a erosão
Como se faz curva de nível
Pra sua irrigação
Na planície ou pé de serra
Maneiras de trabalhar a terra
E a sua proteção

Trabalha com dobrada energia
O sertanejo forte e decidido
Com calma coloca tudo em prática
Que no curso foi aprendido
A esposa vem ajudar
Pois água pra beber e cozinhar
Eles estão bem abastecidos

Não é somente acesso à água
Que é pela ASA articulada
Discutem o acesso à terra
Que é bastante intensificada
Debatem segurança alimentar
No debate não podia faltar
A educação contextualizada

Defendem a biodiversidade
De maneira simples e natural
E os direitos da mulher
Que é um fator principal
E a economia solidária
É a base necessária
De quem vive na zona rural

Sem fins lucrativos ou políticos
Eles estão por aí articulando
Mais espaços e parcerias
Vão pouco a pouco conquistando
Fortalecendo ainda mais a corrente
E a vida de milhares de gentes
Em todo o Semiárido está mudando

Com ética, moral, com respeito
Com vigor, disposição, competência
Com estilo, com sucesso, firmeza
Com verdade, honestidade e transparência
Com alegria redobrada no final
Para a ASA isto é primordial
Ver o sertanejo viver com mais decência

A todos os membros da ASA parabéns
Grita toda galera estudantil
Obrigado gritam os agricultores
Todos do mesmo modo gentil
Os que tem cisterna em casa
Clamam viva, viva, viva a ASA
Um forte abraço do tamanho do Brasil 

Homenagem à ASA do agricultor Otávio Barreto Araújo, da comunidade de Pedra Branca, em Araci, Bahia.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: